quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Ruralômetro: medindo a febre ruralista na câmara dos deputados

O Ruralômetro é um banco de dados e uma ferramenta interativa que mede como os deputados federais eleitos em 2014 agiram frente a projetos de lei e medidas provisórias que têm impactos sobre o meio ambiente, os povos indígenas e trabalhadores rurais.
Desenvolvido pela Repórter Brasil com uma equipe multidisciplinar, a ferramenta parte de duas bases de dados para medir a atuação dos parlamentares nessas áreas: seus votos nesta legislatura e os projetos de lei propostos por cada um.
Para fazer uma avaliação de mérito de cada projeto, foram chamadas organizações do setor socioambiental. Elas classificaram os projetos votados e propostos de acordo com seu impacto positivo ou negativo para o meio ambiente, povos indígenas e trabalhadores rurais. São elas: Instituto Socioambiental (ISA), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados(as) Rurais (Contar), Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase), Greenpeace e Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente.
Assim, cada deputado ganhou uma pontuação individual, que leva em conta todos os projetos que ele votou o propôs. Por fim, essa pontuação foi aplicada à escala de temperatura corporal humana: quanto mais projetos com impacto negativo o deputado votou ou propôs, mais alta é sua temperatura. Podendo chegar a níveis de febre.
[texto extraído de http://ruralometro.reporterbrasil.org.br/metodologia#menu]

Nenhum comentário :

Postar um comentário